23 de setembro de 2010


. boneca cobiçada .

a lua é testemunha
quando a noite para
eu reparo,
ela.

girando
suas duas vogais
cortadas
por outras duas belas consoantes
num sorriso estonteante, lerdo e provocante.

na cidade,
onde só existe pecado
ainda deliciará com alguns murmúrios embriagados
meus.

sem tanta poesia
cantarei noel passeando sereno em teus olhos quentes
seduzindo teu rosto num toque leve de palavras.

e quando o sol vir estragar novamente a boemia
fina dose de tristeza entre os malandros e vagabundos
vou calmo e prestante no encanto permanente daquele raro instante
beijar-te-ei em silêncio.

por bibi serafim.

visite o blog cartase do itinerante para ler mais poemas do bibi, integrante da extinta banda dissidente. e não deixe de baixar também o cd à deriva.
(clique nos nomes para acessar)

adorei esse poema, principalmente a parte que o sol estraga a boemia. parece que eu mesma escrevi. hehehehe. como eu sempre digo, a noite só termina com o sorriso do sol. e mesmo assim, se eu pudesse, trocaria o sol por uma segunda lua, principalmente a de hoje, cheia!
e simbora para a jogação, que hoje tem! =D
.
[as fotos são para despedir das minhas medeixas louras, que me abandonarão hoje! \o/
visual novo, aí vou eu!]

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...